domingo, 21 de dezembro de 2008

Receita de Ano Novo


Receita de Ano Novo.

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade



Texto extraído do "Jornal do Brasil", Dezembro/1997.

E a educação no Brasil vai de popa...


Relato de uma Professora de Matemática, no Brasil:


Semana passada compre um produto que custou R$ 1,58.
dei à balconista R$ 2,00 e peguei na minha bolsa R$0,08 centavos, para evitar receber ainda mais moedas.
A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar-lhe que teria que me dar R$0,50 centavos de troco.
A mesma não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.
Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem compreender
Por que estou contando isso? Porque me dei conta da evolução do ensino de Matemática desde 1960, que foi assim:


1. Ensino de matemática em 1960:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda . Qual é o lucro?



2. Ensino de matemática em 1970:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?


3. Ensino de matemática em 1980:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Qual é o lucro?


4. Ensino de matemática em 1990:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00


5. Ensino de matemática em 2000:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo?
( )SIM ( ) NÃO



6. Ensino de matemática em 2008:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um 'X' no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

As melhores frases dos piores estudantes




*O metro é a décima milionésima parte de um quarto do meridiano terrestre e pro cálculo dar certo arredondaram a Terra!

*O cérebro humano tem dois lados, um pra vigiar o outro.

*O cérebro tem uma capacidade tão espantosa que hoje em dia, praticamente, todo mundo tem um.

*Quando o olho vê ele num sabe o que tá vendo, ele manda uma foto elétrica pro célebro que explica pra ele.

*Nosso sangue divide-se em glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e até verdes!

*Nas olimpíadas a competição é tanta que só cinco atletas chegam entre os dez primeiros.

*O piloto que atravessa a barreira do som nem percebe, porque não escuta mais nada.

*O teste do carbono 14 nos permite saber se antigamente alguém morreu.

*Antes mesmo da guerra a mercedes já fabricava volkswagen.

*Pedofilia é o nome que se dá ao estudo dos pêlos.

*O pai de D.Pedro II era D.Pedro I e de D.Pedro I era D Pedro 0

*Nos aviões, os passageiros da primeira classe sofrem menos acidentes que os da classe econômica.

*Em 2020 a previdência não terá mais dinheiro pra pagar os aposentado graças à quantidade de velhos que se recusam a morrer.

*O verme conhecido como solitária é um molusco que mora no interior mas é muito sozinho.

*Na segunda guerra mundial toda a europa foi vítima da barbie (barbárie) nasista.

*Cada vez mais as pessoas querem conhecer sua família através da árvore ginecológica.

*O hipopótamo comanda o sistema digestivo e o hipotálamo é um bicho bem perigoso.

*A Terra se vira nela mesma, e esse difícil movimento denomina-se arrotação.

*Lenini e Stalone eram grandes figuras do comunismo na Rússia.

*Uma tonelada pesa pelo menos 100Kg de chumbo.

*Quando os egípcios viam a morte chegando se disfarçavam de múmia.

*Uma linha reta deixa de ser reta quando pega uma curva.

*O aço é um metal muito mais resistente que a madeira.

*A fundação do Titanic serve pra mostrar a agressividade dos ice-bergs.

*Pra fazer uma divisão basta multiplicar subtraindo.

*A água tem uma cor inodora.

*O Marechal Deodoro da Fonzeca é conhecido principalmente pois está no dicionário.

*A idade da pedra começa com a invenção do Bronze.

*Os rios podem escolher em desembocar no mar ou na montanha.

*A luta greco-romana causou a guerra entre esses dois países.

*Os escravos dos romanos eram fabricados na áfrica, mas não eram de boa qualidade.

*O tabaco é uma planta carnívora que se alimenta de pulmões. (esse é espirituoso...)

*Na idade média os tratores eram puxados por bois, pois não tinham gasolina.

*A baleia é um peixe mamífero encontrado em abundância nos nossos rios.

*Trompa de Eustáquio é o instrumento musical de sopro, inventado pelo grande músico belga Eustáquio, de Bruxelas.

*As constelações servem para esclarecer a noite.

*Bigamia era uma espécie de carroça dos gladiadores, puchada por dois cavalos."

Professor nervoso, ou aluna chata?

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Professor não pode ganhar bem? Tem de lecionar só por amor? | Curiosando


Fiquei indignada quando soube dos cinco governadores que foram contestar no STF o piso salarial de R$ 950,00 para os professores da rede pública.

Eu pergunto: o Brasil será um país decente um dia, sem investir em educação? A resposta é óbvia! Agora, se um país não pode pagar 950 reais aos professores, é melhor fechar as portar. Isso é vergonhoso!


Os professores de hoje em dia, além dos baixos salários, convivem com a violência de alunos que se tornam bandidos cada vez mais jovens. São agredidos, ameaçados, não tem o mínimo de respeito, já que a profissão é tratada em segundo ou terceiro plano pelos governantes.

Só para não deixar a informação incompleta, os cinco digníssimos governadores que recorreram ao STF contra o piso foram: André Puccinelli (PMDB-MS), Cid Gomes (PSB-CE), Luiz Henrique (PMDB-SC), Roberto Requião (PMDB-PR) e Yeda Crusius (PSDB-RS).

Já que querem proibir um mínimo de dignidade aos professores, proponho que se equipare o salário dos professores da rede pública ao dos Deputados Federais, por exemplo. Qual profissional é mais importante em sua opinião?

Já há algum tempo, lecionar é um ato de amor, pois ao escolher uma das mais nobres profissões que existe, a pessoa tem de estar ciente de que nunca receberá um salário digno ao cargo que ocupa.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O único problema do Brasil


É comum ver-se na imprensa pesquisas sobre qual seria o maior problema do Brasil. Os telespectadores do Datena afirmam que é a segurança, os professores que é a educação, os trabalhadores que é o desemprego, os aposentado dizem que é a saúde e a previdência.

Todavia existe um problema que é causa e conseqüência de todos. Alguns diriam que a questão é a educação, pois, com ela pode fazer de tudo, outros falariam que a saúde, afinal um povo saudável é que constrói um grande país.

Não...... esse único problema não é nenhum dos listados acima. Também não está associado a nenhum bordão. O grande problema do Brasil é causado por uma associação de todos os outros, e ao mesmo tempo é a origem deles. Esse problema é a concentração de renda.

Se todos tivessem uma renda razoável poderiam comprar saúde, educação, alimentos, moradia, saúde, etc. Uma boa distribuição de renda reduziria problemas como a criminalidade, infelizmente, uma das poucas formas de ascensão social para algumas camadas mais miseráveis da sociedade.

Qual a solução para esse problema? Bom....... eu disse que falaria qual é problema e não qual a sua solução e, muito menos, disse que a solução é simples. Todavia, pode se adiantar que a solução passa por vontade política.

Uma solução poderia ser por uma verdadeira reforma tributária, com uma maior progressividade das alíquotas do Imposto de Renda. Não faz muito sentido a maior alíquota de imposto incidir sobre salários inferiores a R$ 4.000,00. Uma forma seria reduzir os impostos para camadas de renda menor e elevar para a camada que realmente possuem renda alta, digamos uma alíquota de 50% para rendas superiores a R$ 30.000,00 mensais.

Esse valor deveria ser distribuído a toda sociedade, especialmente às camadas de menor renda. Obviamente, essa distribuição não deveria ser feita por programas demagógicos e eleitoreiros, como o BOLSA ESMOLA. Tal distribuição de renda deveria ser feita pelo cumprimento das obrigações do estado, como as de oferecer ensino básico, cultura, saúde e recreação de qualidade. Ao receber esses serviços básicos com qualidade a sociedade passa automaticamente a ter uma melhora de sua renda efetiva. Isso decorre do fato de sobrar a parte da renda que seria gasta com escola particular ou plano de saúde para ser gasta em outras despesas. As camadas de menor renda teriam pela primeira vez acesso a esses serviços.

domingo, 14 de dezembro de 2008

A escola


Achei essa preciosidade na Net e quero compartilhá-la!


A Escola era como um pequeno país, com pessoas simpáticas e antipáticas, pacientes e impacientes, generosas e egoístas, bendizentes e maldizentes, que trabalhavam juntas e juntas se construíam e desgastavam.

Disse que a Escola era como um país. E era. Tinha regras que se cumpriam e outras que não se cumpriam. Tinha governantes que eram eleitos democraticamente e governavam. Tinha governantes que, democraticamente, exerciam o seu direito de pôr, opor e dispor, conforme a influência dos seus líderes ou sensibilidades. Possuía as zonas distintas dos grupos, as pequenas capelas da oposição, os círculos presidencialistas e as largas faixas dos neutros. Em resumo: tinha um corpo docente de uma centena de indivíduos, exercendo uma das profissões mais gratificantes e esgotantes do mundo.

Por isso, quem tenha a triste ideia de pensar que levar uma escola para a frente é tarefa fácil, é porque conhece muito pouco da natureza humana e das suas fraquezas!

Fazer com que, dia após dia, uma população de, aproximadamente, mil almas, conviva em paz e sossego, recebendo cada um o que lhe é devido, desde comida a respeito, é uma tarefa que requer, por vezes, virtudes gigantes que não possuímos. Porque numa escola acontece de tudo. Uma escola não é um edifício com muitas salas onde os meninos entram a toque de campainha, recebem ensinamentos e tornam a sair. Para começar, as campainhas, de vez em quando, não tocam e então, gera-se um crescendo de gritos e assobios que, ao rolar pelos corredores, leva às portas da loucura os mais nervosos.

Uma escola faz-se todos os dias com muita Bondade e Firmeza. Fazem-na todos os que nela trabalham. Sem nenhuma excepção. E quando alguém falha (e todos os dias falham sempre alguns), as faltas vêm ao de cima como nódoas de azeite e ficam à vista de quem sabe entender. O pior é que, uma vez toleradas, se pensam aceites e se instalam de vez. Depois, como um vício, só são extirpadas com lutas penosas e o sofrimento daqueles que atacam e de quem se defende. E nem toda a gente, devemos sabê-lo, nasceu campeã de causas perdidas!

Uma escola é também um lugar onde é preciso saber, e depressa, o que se faz quando:

se partem braços

se tomam drogas

se roubam objectos

se cortam veias

se atropelam alunos

se instauram processos

se anavalham rivais

se apalpam garotas.

É o lugar onde os encarregados de educação vêm:

desabafar

perguntar

pedir

exigir

gritar

ofender

ameaçar...e, por vezes, bater! É o sítio onde mães de famílias respeitadas são desrespeitadas até à neurose, à raiva e ao pranto, só porque não possuem as doses exactas de autoridade e ternura que despertam respeito nesta seiva a ferver.

Uma escola é também um lugar cheio de explosões de sons agressivos, onde as dores de cabeça serão enxaquecas, os aborrecimentos se transformam em depressões e as depressões em psicoses.

Ah!, mas é também um lugar maravilhoso, onde os olhos de uma criança, de repente, se acendem e aquecem quem vê. É o lugar onde as lágrimas podem ocultar uma imensa alegria e um sorriso tenso, um drama sombrio.

É o país do Ontem, do Hoje e do Amanhã, onde os professores apelam incessantemente às fontes da paciência, em nome dos meninos que eles foram, e onde semeiam, sem saber se o joio vencerá o trigo ou se a colheita será farta ou não.

É o Reino dos Poetas, dos Homens-Meninos e daqueles que ouvem, no centro da alma, o que diz o silêncio da criança que olha.

É um país, sim, e um país singular, porque aí se exercem, a todas as horas, persistentemente, o Amor e a Paz. E isso é difícil: não nascemos anjos.





(Maria Lucília Bonacho - O Futuro está a estudar)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Professor está sempre errado?


O material escolar mais barato que existe na praça é o professor. (Jô Soares)


É jovem, não tem experiência.
É velho, está superado.

Não tem automóvel, é um pobre coitado.
Tem automóvel, chora de “barriga cheia".

Fala em voz alta, vive gritando.
Fala em tom normal, ninguém escuta.

Não falta ao colégio, é um "caxias".
Precisa faltar, é um "turista".

Conversa com os outros professores, está "malhando" os alunos.
Não conversa, é um desligado.

Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Dá pouca matéria, não prepara os alunos.

Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Não brinca com a turma, é um chato.

Chama a atenção, é um grosso.
Não chama a atenção, não sabe se impor.

A prova é longa, não dá tempo.
A prova é curta, tira as chances do aluno.

Escreve muito, não explica.
Explica muito, o caderno não tem nada.

Fala corretamente, ninguém entende.
Fala a "língua" do aluno, não tem vocabulário.

Exige, é rude.
Elogia, é debochado.

O aluno é reprovado, é perseguição.
O aluno é aprovado, deu "mole".

É o professor está sempre errado, mas, se conseguiu ler até aqui, agradeça a ele.

(fonte - Revista do Professor de Matemática, no.36,1998.)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

IMAGENS HISTÓRICAS

IMAGENS HISTÓRICAS E UM POUCO DE HISTÓRIA

Momento exato de quando a 2ªGM terminou. Russos fincando a bandeira no Reichstag



Lampião, Maria Bonita e seu bando.




John Fitzgerald Kennedy nasceu em Brookline, no estado de Massachusetts, no dia 29 de Maio de 1917 e veio a morrer assassinado em Dallas, dia 22 de Novembro de 1963.






Lula metalúrgico.







1968 Policiais prendem 920 estudantes durante congresso clandestino da UNE, em Ibiúna (SP)

Frente Parlamentar Gaúcha em Defesa do Piso do Magistério: Site Jornal Valor Economico - Piso dos professores: ministro está confiante em posição favorável do STF


O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou estar confiante em uma posição favorável do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação à lei do piso nacional do magistério. Alguns governadores entraram com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no STF questionando a constitucionalidade da lei.
Haddad argumentou que, no texto que criou o Fundo Nacional de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), em 2006, já havia a previsão para a instituição de um piso nacional para os professores.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

GESTÃO DEMOCRÁTICA DA EDUCAÇÃO

>
View SlideShare presentation or Upload your own.






SlideShare Link

Mensagem de Madalena Freire


Estar vivo é estar em conflito permanente,produzindo dúvidas, certezas questionáveis.Estar vivo é assumir a Educação do sonho do cotidiano.Para permanecer vivo, educando a paixão,desejos de vida e morte, é preciso educar o medo e a coragem.Medo e coragem em ousar.Medo e coragem em romper com o velho.Medo e coragem em assumir a solidão de ser diferente.Medo e coragem em construir o novo.Medo e coragem em assumir a educação deste drama, cujos personagens são nossos desejos de vida e morte.Educar a paixão (de vida e morte) é lidar com esses dois ingredientes, cotidianamente,através da nossa capacidade, força vital (que todo ser humano possui, uns mais,outros menos, em outros anestesiada) e desejar, sonhar, imaginar, criar.Somos sujeitos porque desejamos, sonhamos, imaginamos e criamos, na busca permanente da alegria, da esperança, do fortalecimento da liberdade, de uma sociedade mais justa,da felicidade a que todos temos direito.Este é o drama de permanecermos vivos... fazendo Educação.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Educação


Alexandre Gomes

Sem educação não há futuro e fora dela não há salvação! Vou citar um exemplo de força de vontade de fazer mudança. Recém saída da ocupação japonesa, a Coréia do Sul era um país destruído com 95% população analfabeta ou alguns analfabetos funcionais. Decidiu investir na educação e na formação de centenas de cientistas. O resultado? Tornou-se nada mais, nada menos que a potência que é hoje. Já por aqui, vivemos de reformas de varejo na educação quando o que deveria ser feito era uma REVOLUÇÃO. Mas isso não dá voto. Nenhum político brasileiro quer uma sociedade pensante, com possibilidade de enxergar as canalhices que acontecem no planalto. Por quê? Porque a educação liberta! O candidato à presidência na última eleição que apresentou a educação com prioridade absoluta teve apenas 2,5% dos votos. Parece que ninguém quer uma educação melhor, ninguém quer deixar de ser dependente desses paraparlamentares, ops! Parlamentares. Quem tem uma educação de qualidade é menos enganado pelos "populistas" e demagogos. A educação tira as pessoas da margem da sociedade e as torna cidadãos! O que nossos governantes não percebem (ou fingem não perceber) é que quanto maior for o investimento na educação, menor ele será em saúde e segurança. Agora, uma educação sem qualidade é apenas um arremedo improdutivo do improviso e da imoralidade que não nos leva a lugar algum.

O poder é o território do demônio


Dar à população o poder absoluto de decidir sobre as principais demandas do País e, principalmente, a chance de tirar do alto de seus postos os políticos que não estejam cumprindo da forma adequada os seus papéis. Tudo isso por intermédio de plebiscitos, simples, diretos e sem qualquer burocracia ou acordos de colarinho branco. O povo no poder de fato. Este seria o modelo ideal de democracia para o jurista Fábio Konder Comparato - medalha Ruy Barbosa do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e presidente da Comissão Nacional de Defesa da República e da Democracia da entidade -, que esteve na última quinta-feira em Campinas para participar de um evento no plenário da Câmara Municipal. "O poder é o território do demônio. Ele inebria, enlouquece", afirma o jurista. "É preciso pressionar câmaras e prefeituras todos os meses. Política se faz coletivamente. Sozinho não se faz nada", ressalta.
Para Comparato, um regime que toma decisões essenciais para o destino do País sem ouvir a sua população não pode ser chamado de democracia. E na metralhadora giratória de idéias e filosofias do jurista sobra até mesmo para os militares. Ele aponta que falar em "ditadura militar" é um erro, já que, de acordo com ele, as Forças Armadas, na verdade, serviram muito mais como massa de manobra para um empresariado sedento por lucro. Quando o chamado "milagre" econômico brasileiro se mostrou um pesadelo de grandes proporções, quem realmente dava as cartas tratou de forçar o fim do regime, um dos piores capítulos da história nacional.

"Precisamos formar cidadãos e reformar as instituições. O bem comum tem que estar sempre acima dos interesses privados", reforça Comparato, também crítico ferrenho das privatizações que ocorreram no Brasil nos últimos anos.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Di Humor

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

CAMPISTAS TAMBÉM PRECISAM DE AJUDA



Li no Blog do PVitor (Palavras de um futuro bom...) e achei importante divulgar.



Se voce quiser apoiar esta campanha, entre em contato e enviaremos diariamente nossas ações. Mesmo que não queira aderir, visite os locais afetados pelas chuvas, como Ururaí e Lagoa de Cima. Leve alimentos, roupas, água potável, o que voce puder. Pouco para quem perdeu tudo, é muito! Ajude. (Rodolfo Lins)
Postado por Jornal Magazine



Postado por Gustavo Rangel no blog Fotos, Fatos e Afins.

Não é só em Santa Catarina que pessoas precisam de ajuda. Em Campos a situação também é difícil e independentemente de partidos políticos, ideologias, críticas etc e tal a hora é de ajudar. Equipes da Promoção Social estão de plantão para receber alimentos não perecíveis, roupas em geral, roupas de cama, cobertores, fraldas, materiais de limpeza e higiene pessoal. As doações podem ser entregues na Coesa, Espaço do Trabalho (antiga Big 13), Fundação Municipal de Esportes (antiga AABB) e na secretaria de Promoção Social, no horário comercial. Maiores informações na secretaria de Desenvolvimento e Promoção Social, na Travessa Santo Elias, s/nº, no Jardim Carioca ou pelos telefones (22) 2733-3738 ou 2723-1099. Vamos ajudar a quem precisa.
Postado por Gustavo Rangel

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Como se nomeia um secretário de Educação



Em Quinta do Sol, o prefeito eleito Antonio Roberto de Assis, do PPS, entregou aos professores a escolha do secretário de Educação. E eles escolheram a professora aposentada Arlete Correia de Almeida, que é vereadora. O prefeito eleito foi presidente de APM por 16 anos.
Em Araruna, o prefeito eleito Mino Bonato, também do PPS, utilizou o mesmo sistema: pediu aos professores a indicação do secretário da área e apresentou quatro nomes. A escolha recaiu sobre Maura Ferreira dos Santos. Em Paranavaí a escolha procedeu de igual maneira!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Educação no Brasil




Os dados abaixo (ENEM 2008) devem ser analisados e comparados relativamente aos dados internacionais. Essa comparação é, obviamente, difícil de ser feita. Mas, o IPEA fez um estudo interessante cujo o resultado geral segue abaixo:

"Já em relação ao índice de desempenho em leitura, o estudo mostra que cerca de 80% da população brasileira consegue ler um texto, mas não o compreende em sua totalidade. Na Argentina, esse indicador é inferior a 80%, assim como no México. Na Rússia esse índice é de aproximadamente 65%, como no Chile. Além disso, o estudo mostra que apenas 5% da população brasileira consegue ler e compreender completamente o conteúdo e as nuances de um texto.

Em relação ao desempenho em questões de matemática, a pesquisa aponta que quase 90% da população brasileira não consegue fazer contas simples sem o auxílio de uma calculadora. Na Rússia e nos Estados Unidos, esse indicador é inferior a 60%, e na Alemanha, de 40%."

Muito bem, se você conseguiu ler e compreender os dois parágrafos acima você está no Top 5% da população brasileira em termos de educação.

FONTE: Zero Hora.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Manifestações antecipam greve nacional


Entre os dias 25 e 28 de Novembro, numa iniciativa da plataforma sindical de docentes, os professores irão manifestar-se contra o modelo de avaliação de desempenho, em capitais de distrito, começando pelo Norte do País e continuando para o Centro, Grande Lisboa e zona Sul.

No dia 3 de Dezembro deverá acontecer uma greve nacional de docentes, que recusam as cedências e alterações ao modelo de avaliação de desempenho docente avançadas pelo Ministério da Educação. Segundo os sindicatos, apenas a suspensão da avaliação poderá fazer desmobilizar os protestos.

Ministério e sindicatos irão encontrar-se no dia 28 de Novembro. Enquanto os sindicatos anunciam que continuarão a exigir a suspensão do modelo de avaliação vigente e que entregarão uma proposta de solução transitória para este ano lectivo, o Ministério da Educação afirma que irá concretizar as alterações ao modelo anteriormente anunciadas.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Projeto de cotas enfrentará resistência no Senado








A reserva de vagas em universidades federais para estudantes de famílias que ganham até um salário mínimo e meio por pessoa, aprovada ontem pela Câmara, encontra resistência no Senado. A cota por renda foi incluída no projeto que reserva 50% das vagas em universidades federais para estudantes que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas. As vagas serão preenchidas com reservas para negros, pardos e indígenas na proporção da população de cada Estado, estipulada pelo censo da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A senadora Ideli Salvatti (PT-SC), autora do projeto aprovado pelo Senado e alterado na Câmara, discorda da cota por renda aprovada pelos deputados e afirmou que vai defender a manutenção do texto dos senadores em nova votação na Casa. Ela argumentou que a reserva para os estudantes que cursaram escolas públicas já vai atender os alunos de família de baixa renda. "O critério de corte por renda vai restringir o acesso dos estudantes", afirmou. "Aparentemente, é muito justo, mas, por inviabilizar, fica muito injusto.

Ex-ministro da Educação, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse que a cota por renda é uma forma de "enganar a população", porque ela não terá aplicação na prática. "As pessoas pobres não terminam o ensino médio. Essa cota só será preenchida quando toda criança puder estudar, quando a Bolsa-Família se transformar em Bolsa-Escola e quando o ensino médio for obrigatório no País, o que não é", afirmou Cristovam.

Fonte: AE

domingo, 23 de novembro de 2008

Cotas em Universidades públicas



Esse assunto está em pauta no momento! Muitos tem opiniões lindas sobre o assunto!
Só que precisamos parar com essa auto piedade e levantar a cabeça para horizontes maiores. Não adianta querer empurrar goela abaixo alunos que não estão preparados para a lei da competitividade. Alunos negros, brancos, pardos, índios, pobres ou ricos. O governo precisa de políticas públicas que olhem e zelem pelo Ensino Fundamental. Ele é a base para todo o resto. Se o aluno fizer um bom Ensino Fundamental ele tem condições de prestar seu vestibular sem precisar de uma lei a seu favor.O que o governo pretende é um remendo, mas remendo em pano podre é perda de tempo.Nossas crianças e adolescentes precisam de uma educação melhor, todos, independente da cor de sua pele ou status social!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

FIM DA PROFISSÃO DE POLÍTICO



Por: F. Antenor Gonsalves



Passa já da hora de repensarmos a república e a democracia.
O que servia aos romanos e aos gregos há milhares de anos, não tem nenhuma razão de ser para as civilizações hodiernas.

As fronteiras demarcadas ou violentadas pelas lanças e espadas do império romano há dois milênios atrás já não se justificam. Na pior das hipóteses, hoje já se fala em “comunidade internacional”.

Democracia – mesmo na etimologia e acepção do termo – não exprime e tão menos justifica sua definição acadêmica. A prática é outra.

Exemplifiquemos: um país com duzentos milhões de habitantes tem um colégio eleitoral de cento e vinte milhões de eleitores inscritos, o equivalente a 60% do total da população, dos quais 17% (vinte milhões e quatrocentos mil) abstêm-se do voto; outros 6% (sete milhões e duzentos mil) votam nulo e 5% (seis milhões) votam em branco, perfazendo apenas 86.400.000 (oitenta e seis milhões e quatrocentos mil) votos válidos divididos por X candidatos.

Se o candidato mais votado obtiver 50% + 1 dos votos válidos, ele será eleito com 43.200.001 votos!!! ou seja: 21,6000005% de toda população do país.
Se subtrairmos os votos comprados – que geralmente são muitos –, os que votaram no “menos ruim”, os que não tiveram outra opção, os que votaram para “pagar favores”, os que justificam: “esse rouba mas pelo menos faz alguma coisa”, os votos de cabresto, os currais eleitorais, os de boa fé que acreditam no “comigo é diferente”, et cetera, et cetera, et cetera... então, o que há de sobrar?!

Democracia pode ser qualquer coisa, menos governo da maioria, e, por conseguinte, nunca foi, é ou será “governo do povo, pelo povo e para o povo”; senão para o que era o povo na Grécia antiga.

Hoje, porém, democracia não passa de uma ignominiosa farsa para legitimar a ditadura do capital.
Porém, há alguns que argumentam: “Mas não inventaram nada melhor” querendo dizer “é assim e não devemos pensar nada diferente”, como se o diferente nunca pudesse ser melhor do que um miserável pai de família aparecer na “grande mídia” declarando o seu “voto secreto” em determinado candidato porque este um dia lhe deu umas migalhas do seu próprio pão que o candidato “bonzinho” lhe roubou.

Votar – delegar poderes – é assumir:
– Eu sou um idiota e incompetente.
Governemos nós mesmos o que é nosso, em assembléias, mutirões... Seja como for, menos com corruptos e ladrões.

A democracia atual é a herança mais perniciosa que temos hoje como legado dos gregos. Literalmente um “presente de grego”.

Se um determinado indivíduo quer ser uma pessoa pública, deve ser antes de tudo um humanista; um abnegado; um altruísta. Nada de representatividade remunerada.
Nos tempos modernos, com toda ciência e tecnologia a serviço do homem, é mister que nos reciclemos e busquemos sempre o novo.

É mais que possível governarmos um país com Assembléias Populares – via teleconferências – onde todo povo participe das discussões e votações, sem delegação de poderes e, portanto, sem representatividade.
Em cada cidade haverá uma Praça do Povo, provida de telões interligados a uma rede de computadores, onde o povo debaterá seus problemas e necessidades; tomará decisões e, em mutirões, executará suas decisões.

Portanto, fim para a “profissão” de político, que adquiriu a conotação e até mesmo a sinonimização de corrupto e ladrão.

Papel reciclado


Por: Júlia Mendes Carrenho

Como se faz papel reciclado?

Apesar de parecer muito complicado, o papel reciclado é uma forma simples de ajudar o meio ambiente. Nesses tempos de aquecimento global, a reciclagem do papel é muito importante para todos nós.

Abaixo vai uma receita que costumo utilizar e sempre dá certo:

Receita de papel reciclado:

Ingredientes:

• Papel;
• Água;
• Moldura com tela fina;
• Panos;
• Colher;
• Bacias;

Modo de fazer:

1. Deixe os papéis de molho durante 1 dia em uma bacia, tomando o cuidado para que todos os papeis fiquem cobertos de água;
2. Depois disso, despeje a "polpa" que você obteve em um liquidificador, bata com cuidado;
3. Despeje a mistura em uma bacia, grande o suficiente para que a tela caiba dentro da mesma;
4. Mergulhe a tela na bacia até que a mesma fique coberta pela mistura.
5. Retire com cuidado da bacia e alise o resultado com a colher;
6. Vire a folha em um pano, tomando muito cuidado para que a mesma não se desfaça.
7. Repita o procedimento quantas vezes desejar e deixe as folhas obtidas secar na sombra ;
8. Pronto!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Educação Musical na EJA



A Educação Musical tem ocupado seu espaço no currículo escolar do Ensino
Fundamental regular, de maneira a contribuir na busca de uma escola que encontre
alternativas a suas limitações. Porém encontramos neste contexto, uma realidade escolar rígida onde é preciso lecionar para determinada turma em determinado horário8, utilizando determinado espaço físico e um tipo pré-determinado (pela prática e não pela teoria) de atuação onde cada professor especialista deve responder única e exclusivamente por sua área de competência, pois segundo estudo realizado por Borges (2003) abordando a Educação Musical dentro do contexto específico da RME, a interdisciplinaridade raramente acontece.

Graça Mota: "A música é subvalorizada nas escolas"


[ ... ] Graça Mota, professora e investigadora da área de Música do departamento de Artes e Motricidade Humana da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, destaca, no entanto, alguns aspectos que em seu entender deveriam merecer uma maior atenção, como os professores do 1.º ciclo serem apoiados por especialistas no ensino da Música. [ ... ]
A docente garante que uma das preocupações fundamentais da ISME é contribuir para que todos tenham acesso a uma educação musical de qualidade. "A Música faz parte da educação global e é tão importante como qualquer outra área", defende.
[ ... ] E: Esse organismo internacional reúne educadores musicais de mais de 70 países. Há preocupações comuns?
GM: Sem dúvida. Uma delas, e uma das mais importantes, é garantir uma educação musical para todos em paridade com as outras áreas, como por exemplo a língua materna, a Matemática ou o ensino das Ciências. Essa é uma grande preocupação e que continua a ser um problema em muitos países, poucos são os que se exceptuam.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

ELEIÇÕES PARA DIRETOR E VICE DIRETOR NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES


Amigos blogueiros, hoje quero lançar aqui no blog uma campanha para que haja eleições para diretores e vice diretores nas escolas do município de Campos e em outros municípios. Chega desse cabide eleitoral. Precisamos de liderança que tenha amor à causa e não ao dinheiro simplesmente. Professores, juntos somos fortes!!!! Abrace essa causa.

Mais exercício

Exercícios para alfabetização

quarta-feira, 12 de novembro de 2008


"Quem não luta por seus direitos,

vive a espera de favores..."

Sejam todos bem-vindos!

Seja muito bem-vindos todos os amigos, apaixonados ou desesperados por Educação. Espero de coração que aprendamos muito uns com os outros. Deus te abençoe.